#NASA x BRASIL, estudando o Fenômeno Equatorial

Posted on agosto 4, 2017

0


Estudando o Fenômeno Equatorial

 

 

Na animação deste artista, o sinal transmitido à Terra por um satélite genérico é interrompido por fenômenos na ionosfera da Terra. As regiões de densidade comparativamente baixa, chamadas de bolhas de plasma equatoriais, descritas aqui como uma banda azul deslocante na atmosfera superior, combinam com cintilações, flutuações atmosféricas semelhantes ao efeito “twinkling” visto à luz das estrelas quando as freqüências ópticas são interrompidas, para interromper e dispersar o satélite sinal. Esses fenômenos – que ameaçam as comunicações por satélite, colocam os exploradores do espaço humano em risco e muitas vezes perturbam as comunicações e os sistemas de navegação no terreno – são o foco da missão conjunta Nasa-Cubesat brasileira, conhecida como Tarefa de Pesquisa sobre Observações de Previsão de Cintilação, ou missão SPORT . Financiado pela Direção da Missão da Ciência da NASA em Washington e liderado pelo Marshall Space Flight Center da NASA em Huntsville, Alabama, o SPORT será lançado em 2019 para uma missão de coleta de dados de um ano.
Créditos: NASA / MSFC

Joint NASA-Brazil SPORT CubeSat Mission Will Unlock Complex Equatorial Phenomena, Lay Groundwork for Better Space Weather Prediction

NASA

Anúncios